Como criadories e precursories da linguagem neutra no Brasil o Instituto [SSEX BBOX] – gênero e sexualidade fora da caixa, e a [DIVERSITY BBOX] – consultoria especializada para a equidade social e para a promoção da diversidade em corporações e instituições, lançam no Brasil, o Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva, com o autore e pesquisadore Pri Bertucci e com novos capítulos desenvolvidos por coautories como Amanda Monteiro, Francesco Crisci , Jaqueline Gomes de Jesus, Mikkel Mergener Mendes e Paula Ramos Pacheco.

Durante a Feira Trans 2022, no dia 11/06, tivemos uma plenária de Lançamento do DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA INCLUSIVA no Brasil, livro de Pri Bertucci, com um resumo de sua pesquisa de dez anos sobre o tema. O painel de lançamento teve a participação da professora Jaqueline Gomes Jesus e Francesco Crisci, e fizemos reflexões de UX e linguagem neutra e inclusiva. A plenária foi uma verdadeira aula sobre o tema e pode ser acompanhada ONLINE na aquisição do dossiê na plataforma de educação a distância da [DIVERSITY BBOX] consultoria.

O lançamento em Portugal com cinco eventos em Lisboa e Porto, aconteceu entre 25 de setembro e 4 de outubro de 2021. Com o intuito de conscientizar a sociedade e tornar esse tema acessível a espaços e organizações pelo mundo, o lançamento internacional foi realizado com parceria da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, OUT&EQUAL; principal organização do mundo ligada à equidade LGBTQ+ no trabalho, Núcleo NuPride da Universidade Nova Lisboa, Espaço cultural Valsa, e Opus Diversidade, a mais antiga organização LGBTQIAP+ de Portugal, e com patrocínio oficial de Mattos Filho Advogados. Também conta com o apoio de organizações parceiras Transparente Consultoria, Junta de Freguesia de Benfica, Queer as Fuck, Mostra Internacional Drag King Queer, Dezanove, Queer Tropical, Casa Comum.

Trechos do Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva.

Comunicar de forma inclusiva significa ter a consciência de que a sociedade – e, por consequência, o ambiente de trabalho – é composto por pessoas com diferentes características e identidades. Por isso, é importante que a comunicação inclua, valorize, respeite e acolha toda a diversidade inerente às nossas existências.

Mas a língua é um fato tão diário que a assumimos como natural: são pouquíssimas as vezes em que questionamos o seu alcance, importância e significados. A ideia de naturalidade ainda se agarra à ideia de normalidade. E é aí que mora o problema, uma vez que a comunicação normativa reforça as vantagens e os privilégios simbólicos que estruturam a nossa comunicação. Para o antropólogo polonês Edward Sapir: “Falta apenas um momento de reflexão para nos convencermos de que a naturalidade da língua é uma impressão ilusória”.

A linguagem não é algo natural, mas uma constituição social e histórica. A língua varia de uma cultura para a outra, assim como a maneira de aprendê-la e ensiná-la. As palavras formam a nossa maneira de pensar, sentir e perceber a realidade, além de determinar o mundo que nos rodeia, valores imperantes na sociedade, nossas diferenças e prioridades. Tudo isso pode ser modificado com a nossa comunicação.

Será a linguagem mais inclusiva um possível instrumento de transformação social para além da binariedade e polarização social que enfrentamos neste momento da história?

Trata-se de valorizar e de estar ciente das diferentes maneiras pelas quais uma pessoa pode se comunicar. Dessa forma, permitimos que essas pessoas façam e compreendam as suas escolhas, expressem sentimentos, necessidades e possam se envolver com o mundo à sua volta.

A comunicação pode ser usada para definir e consolidar as nossas atitudes e percepções, além de voltar a padronizar os nossos sistemas de crença dentro de contextos sociais que, enquanto sociedade, incorporamos até agora. Muitas das crenças e ações que aprendemos nesses sistemas de crença não são, necessariamente, verdadeiras. À medida que nos tornamos mais conscientes disso, abre-se espaço para novas percepções e para mais possibilidades. E é isso que pode gerar grandes transformações pessoais e coletivas. Modificar e atualizar a nossa linguagem é um movimento saudável, porque é através dessa nova linguagem que conseguimos interpretar os comportamentos que refletem o mundo no qual desejamos viver e trabalhar.

TEMAS BORDADOS

TEMAS ABORDADOS

Pri Bertucci
Cocriadore da linguagem Neutra e Inclusiva em português

A linguagem também muda a alta velocidade. A maneira correta de falar sobre as pessoas, suas identidades, gêneros, corpos e geografias estão em constante movimento. As terminologias contidas neste dossiê, mesmo que definidas com precisão podem ser transformadas, ressignificadas, substituídas ou até mesmo extintas. Portanto, sabemos que, ao escrever este documento, estamos criando algo instantaneamente datado. Ainda assim, o conhecimento contido nestas páginas é necessário e urgente: a linguagem neutra e inclusiva pode nos ajudar a ir além da binariedade e da polarização social que enfrentamos neste momento da história. A linguagem neutra e inclusiva não é apenas uma neolinguagem, mas sim uma recuperação de linguagem.”

Carlo Pereira
Diretor-executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU.

Inclusão é parte principal de qualquer agenda de desenvolvimento. E desenvolvimento no mais amplo sentido da palavra. E a linguagem é o fundamental de quem somos como indivíduos e como sociedade, por isso é tão importante que seja neutra e inclusiva, ainda mais em um país com um histórico tão grande de preconceito e machismo. E isso deve se expandir para a cultura empresarial. Ser do time, um jargão que o setor privado tem usado com frequência, não é somente ter um crachá, é ser reconhecida, reconhecido ou reconhecide como a pessoa é de fato. Por isso o Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva é mais do que fundamental, é mandatório”

Symmy Larrat
Diretora executiva da ABGLT, uma das mais reconhecidas vozes da militância trans no Brasil.

Tudo que é novo assusta! Assim foi no início dos trabalhos sobre o tema no Brasil conduzido por Pri Bertucci nas conferências internacionais [SSEX BBOX] nas quais participei de várias edições. E esse “novo”ainda assusta... Nossa sociedade é acomodada na convivência com o patriarcado. Quando o debate da linguagem neutra surgiu em meados de 2014 muita gente desacreditou da sua potência , mas não esperavam que tanta gente se adequasse não só por modismo mas por ser acolhida pela estratégia. Não é para se sobrepor a outra linguagem de gênero e anti sexista já conquistada, e sim para somar ampliando o acolhimento linguístico. O manual chega em excelente momento pra história do movimento LGBTQIAP+”

JAQUELINE G. DE JESUS
Docente do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) e da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)

Desenvolver a linguagem neutra e inclusiva numa sociedade como a nossa, generificada (de género) e excludente, é um desafio monumental, porém imprescindível. Os géneros não serão abolidos, nem recriados, apenas pelos discursos. Da mesma maneira, não conseguiremos libertar os corpos de estereótipos ligados a ideais normativos sem passar pela linguagem, reconhecendo a pluralidade de identidades e formas de expressão, e indo além da superfície das palavras e do fetiche das siglas. O presente dossiê traduz esse tema e dialoga com a pesquisa sobre a história da linguagem neutra que tenho desenvolvido com Pri Bertucci"

CV VIVERITO
Diretore associade de Iniciativas Globais da Out & Equal, principal organização do mundo ligada à equidade LGBTQ+ no trabalho

A linguagem neutra e inclusiva fornece à sociedade uma estrutura de conhecimento que muda a forma como conceituamos o mundo ao nosso redor. O Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva é uma ferramenta poderosa de mudança de cultura, que nos ensina a criar espaço para todes nas nossas conversas e a centrar a linguagem que é criada para a comunidade, pela comunidade"

DEBORA GEPP
Especialista em diversidade, um dos principais nomes sobre DE&I corporativo no Brasil

Imperdível leitura da consolidação do trabalho de Pri Bertucci que trouxe a adaptação da linguagem neutra para português, e desenvolve importante e amplo trabalho de educação sobre o tema há quase uma década no Brasil”

NEON CUNHA
mulher, negra, ameríndia e transgénera, questionadora da branquitude e cisgeneridade tóxicas. Uma das mais reconhecidas vozes da despatologização das identidades trans no Brasil

A linguagem neutra e inclusiva faz-me acreditar na construção de uma humanidade na qual a comunicação une em vez de separar, acolhe em vez de repelir e respeita em vez de agredir ou anular vidas"

Bel Santos Mayer
Educadora social e coord(a) do Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitário (IBEAC) e co-gestora da Rede de Bibliotecas Comunitárias LiteraSampa que promovem o direito humano à leitura, à literatura e à escrita.

A língua é dinâmica e seu mover-se deve contribuir para que mais pessoas sejam incluídas e consigam se comunicar. Resultado de pesquisa cuidadosa é um dossiê essencial"

Frederico Bastos P. Martins
Advogado sênior na Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados e entusiasta da Diversidade & Inclusão

A linguagem é parte fundamental da individualidade, sendo o laço mais forte e basilar com o contexto sócio-histórico-cultural de cada indivíduo. A promoção de uma linguagem neutra e inclusiva, sobretudo em línguas latinas tão arraigadas à distinção de género como o português, é um vetor de mudança cultural necessária à promoção da inclusão de todo o espectro da individualidade. O Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva cumpre de forma ímpar esse propósito"

Buck Angel
Trampa, ator, produtor e educador, é considerado um dos primeiros homens Trans do mundo a ganhar popularidade e responsável por inspirar gerações mundo afora

O Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva é uma leitura necessária para pessoas Trans no Brasil, principalmente para essa nova geração de pessoas Trans não binárias. É preciso lembrar de quem veio antes. Pri Bertucci está na vanguarda da linguagem neutra ou não binária há mais de 10 anos. Ile foi a primeira pessoa não binária que conheci há mais de uma década atrás, ile é considerado internacionalmente uma das primeiras pessoas trans não binárias da América Latina e começou a difundir a linguagem neutra no Brasil antes desse tema se popularizar. Esse assunto de linguagem neutra, na sua versão contemporânea, basicamente nasceu na Califórnia e Pri Bertucci teve a possibilidade de vivenciar isso no auge e poder dividir com o mundo suas experiências através do projeto [SSEX BBOX]. Eu sou uma prova viva e estive presente acompanhando o desenvolvimento dessa pesquisa e trabalho em São Francisco, São Paulo, Berlim e Barcelona que culminou nas CONFERÊNCIAS INTERNACIONAIS [SSEX BBOX], maiores conferências LGBTQIA+ da América Latina, na qual tive o prazer de participar em minha ida ao Brasil em 2015. Pri têm defendido os direitos para pessoas LGBTQIA + e não binárias e é fundamental para fazer a mudança global."

LUANA GIMENEZ
VP Global da Salesforce Women's Network, Recrutadora Sênior, Equality Talent Partner LATAM

A consolidação da pesquisa de uma década e do trabalho de Pri Bertucci no Dossiê de Linguagem Neutra e inclusiva é um marco pois compreendermos que o uso da linguagem neutra e inclusiva não é sobre palavras mas sim sobre pessoas, é muito importante não só nas relações corporativas mas também nos conecta com a pluralidade de existências da sociedade, além de humanizar a comunicação.”

ANTONIO AZAMBUJA
Diretor de Marketing de Serviços da Dell Região das Américas

A concretização da Linguagem Neutra através do seu amplo conhecimento e utilização, nos leva à percepção de um mundo real e que, em muitos casos, só existe no nosso pensamento. O trabalho realizado por Pri Bertucci no Dossiê de Linguagem Neutra e Inclusiva é uma forma concreta de desenvolvermos na prática ambientes mais Diversos e Inclusivos nas nossas vidas pessoais e profissionais. Este é o caminho para construirmos um mundo mais igual e melhor e termos a certeza que o amanhã será sempre melhor que o hoje!”

Previous
Next

LINHA DO TEMPO

Pri Bertucci e Dra. Carol Queen no CSC  (Center for Sex and Culture) em São Francisco – Durante Lançamento do primeiro episódio da Série [SSEX BBOX] .O CSC possui o maior acervo literário dos Estados Unidos sobre gênero e sexualidade. Em 2019, o CSC fechou as portas e teve seu acervo doado para a Universidade de Harvard.

Foto: Livia Sá

30‎ de ‎janeiro‎ de ‎2012

Laerte Coutinho, João W. Nery e público durante o lançamento da Revista [SSEX BBOX] em um dos eventos do Circuito [SSEX BBOX] na Sala Crisantempo. O evento aconteceu em várias cidades do Brasil com temas como Cultura Queer, não binariedade e Linguagem Neutra.

Foto: Felipe Lisboa Castro

15 de maio 2013

Plateia durante evento do Instituto [SSEX BBOX] sobre gênero, vivências trans, não binariedade e linguagem neutra, promovido pelo coletivo Puc Purpurina. Conversa no Tucarena, teatro da PUC em São Paulo - Introdução da sigla LGBTQIA+ no Brasil e do pronome ILE/DILE

Foto: Arquivo Instituto [SSEX BBOX]

18 de junho de 2014

Laerte Coutinho e Pri Bertucci no Circuito [SSEX BBOX] na Sala Crisantemo, em São Paulo - Introdução da sigla LGBTQIA+ no Brasil e do pronome ILE/DILE, em 23 de outubro de 2014

Foto: Jonas Tucci

23 de Outubro de 2014

Registros do primeiro Workshop de linguagem neutra no Brasil e estudos sobre o primeiro pronome de gênero neutro na língua portuguesa:  ILE / DILE, promovido pelo instituto [SSEX BBOX], na Sala Crisantemo, em São Paulo.

06 de novembro de 2014

Mesa de debate, A História e o Futuro da Identidade Queer, Equipe, convidades,  palestrantes e Muita emoção no encontro histórico de João W. Nery, considerado o primeiro homem trans do Brasil, e Buck Angel, considerado o primeiro homem trans dos Estados Unidos, ao final da palestra de Buck Angel na 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] e do MixBrasil 2015, realizada no Centro Cultural São Paulo (CCSP) - Sala Adoniran Barbosa

Foto: Dani Villar

17 de novembro de 2015

Equipe, convidades,  palestrantes em rodas de Conversa sobre Comunicação inclusiva não violenta, Comunidade Queer e não binariedade na 2ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] e do Mix Brasil 2016

Foto: Dani Villar

20 de novembro de 2016

Equipe, convidades, palestrantes em rodas de Conversa sobre, Comunidade Queer, Oficina de Vogue & Ballroom, conversa sobre não binariedade na 3ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] 2017

Foto: Dani Villar

16 de novembro de 2017

Equipe, convidades, palestrantes em rodas de Conversa sobre, Comunidade Queer, não binariedade na 4ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] 2018

Foto: Dani Villar

20 de setembro de 2018

Lea T, Sam Bourcier com equipe, convidades e palestrantes em rodas de Conversa sobre, Comunidade Queer, não binariedade na 5ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] 2019  que aconteceu em Paris

Foto: Dani Villar

20 de setembro de 2019

Lançamento do Guia de Linguagem neutra e Inclusiva da Série TODXS NÓS desenvolvido pela [DIVERSITY BBOX] consultoria e Instituto [SSEX BBOX] para HBO

Foto: Arquivo [SSEX BBOX]

11 de março de 2020
[PORTUGAL/ LISBOA]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA E DA BANDEIRA DRAG KING QUEER

Com o apoio de Queerasfuck, Queeraoke e Mostra Internacional Drag Kings Queer
Local - Espaço Valsa
R. Angelina Vidal 13, 1170-166 Lisboa
Metro mais próximo: intendente

25 de setembro 2021
[PORTUGAL/ LISBOA]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA

Local - FCT, da Universidade Nova de Lisboa (Caparica, Lisboa)
Endereço: Largo da Torre, 2825-149
Caparica - Comboio Lisboa-Pragal (Fertagus)
Metrô mais próximo: pragal - Monte da Caparica


27 de setembro 2021
[PORTUGAL/ LISBOA]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA

Local - Palácio Baldaya
Com o apoio da Opus Diversidades
Estr. de Benfica 701A, 1500-087


30 de setembro 2021
[PORTUGAL/ PORTO]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA + MOSTRA INTERNACIONAL DRAG KING QUEER

Local - Café Lusitano
Endereço: R. de José Falcão 137, 4050-215 Porto

2 de outubro 2021
[PORTUGAL/ PORTO]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA

Local - Casa Comum
Fundação Gomes Teixeira e Museus da Faculdade de Ciências, 4050-526 Porto
Metro próximo: São Bento e Aliados 
Localizado próximo da Livraria Lello (muito famosa)


4 de outubro 2021

Pri Bertucci e Dra. Carol Queen no CSC  (Center for Sex and Culture) em São Francisco – Durante Lançamento do primeiro episódio da Série [SSEX BBOX] .O CSC possui o maior acervo literário dos Estados Unidos sobre gênero e sexualidade. Em 2019, o CSC fechou as portas e teve seu acervo doado para a Universidade de Harvard.

Foto: Livia Sá

30‎ de ‎janeiro‎ de ‎2012

Laerte Coutinho, João W. Nery e público durante o lançamento da Revista [SSEX BBOX] em um dos eventos do Circuito [SSEX BBOX] na Sala Crisantempo. O evento aconteceu em várias cidades do Brasil com temas como Cultura Queer, não binariedade e Linguagem Neutra.

Foto: Felipe Lisboa Castro

15 de maio 2013

Plateia durante evento do Instituto [SSEX BBOX] sobre gênero, vivências trans, não binariedade e linguagem neutra, promovido pelo coletivo Puc Purpurina. Conversa no Tucarena, teatro da PUC em São Paulo - Introdução da sigla LGBTQIA+ no Brasil e do pronome ILE/DILE

Foto: Arquivo Instituto [SSEX BBOX]

18 de junho de 2014

Laerte Coutinho e Pri Bertucci no Circuito [SSEX BBOX] na Sala Crisantemo, em São Paulo - Introdução da sigla LGBTQIA+ no Brasil e do pronome ILE/DILE, em 23 de outubro de 2014

Foto: Jonas Tucci

23 de Outubro de 2014

Registros do primeiro Workshop de linguagem neutra no Brasil e estudos sobre o primeiro pronome de gênero neutro na língua portuguesa:  ILE / DILE, promovido pelo instituto [SSEX BBOX], na Sala Crisantemo, em São Paulo.

06 de novembro de 2014

Mesa de debate, A História e o Futuro da Identidade Queer, Equipe, convidades,  palestrantes e Muita emoção no encontro histórico de João W. Nery, considerado o primeiro homem trans do Brasil, e Buck Angel, considerado o primeiro homem trans dos Estados Unidos, ao final da palestra de Buck Angel na 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] e do MixBrasil 2015, realizada no Centro Cultural São Paulo (CCSP) - Sala Adoniran Barbosa

Foto: Dani Villar

17 de novembro de 2015

Equipe, convidades,  palestrantes em rodas de Conversa sobre Comunicação inclusiva não violenta, Comunidade Queer e não binariedade na 2ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] e do Mix Brasil 2016

Foto: Dani Villar

20 de novembro de 2016

Equipe, convidades, palestrantes em rodas de Conversa sobre, Comunidade Queer, Oficina de Vogue & Ballroom, conversa sobre não binariedade na 3ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] 2017

Foto: Dani Villar

16 de novembro de 2017

Equipe, convidades, palestrantes em rodas de Conversa sobre, Comunidade Queer, não binariedade na 4ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] 2018

Foto: Dani Villar

20 de setembro de 2018

Lea T, Sam Bourcier com equipe, convidades e palestrantes em rodas de Conversa sobre, Comunidade Queer, não binariedade na 5ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] 2019  que aconteceu em Paris

Foto: Dani Villar

20 de setembro de 2019

Lançamento do Guia de Linguagem neutra e Inclusiva da Série TODXS NÓS desenvolvido pela [DIVERSITY BBOX] consultoria e Instituto [SSEX BBOX] para HBO

Foto: Arquivo [SSEX BBOX]

11 de março de 2020
[PORTUGAL/ LISBOA]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA E DA BANDEIRA DRAG KING QUEER

Com o apoio de Queerasfuck, Queeraoke e Mostra Internacional Drag Kings Queer
Local - Espaço Valsa
R. Angelina Vidal 13, 1170-166 Lisboa
Metro mais próximo: intendente


25 de setembro 2021
[PORTUGAL/ LISBOA]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA

Local - FCT, da Universidade Nova de Lisboa (Caparica, Lisboa)
Endereço: Largo da Torre, 2825-149
Caparica - Comboio Lisboa-Pragal (Fertagus)
Metrô mais próximo: pragal - Monte da Caparica


27 de setembro 2021
[PORTUGAL/ LISBOA]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA

Local - Palácio Baldaya
Com o apoio da Opus Diversidades
Estr. de Benfica 701A, 1500-087


30 de setembro 2021
[PORTUGAL/ PORTO]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA + MOSTRA INTERNACIONAL DRAG KING QUEER

Local - Café Lusitano
Endereço: R. de José Falcão 137, 4050-215 Porto

2 de outubro 2021
[PORTUGAL/ PORTO]
LANÇAMENTO DOSSIÊ DE LINGUAGEM NEUTRA E INCLUSIVA

Local - Casa Comum
Fundação Gomes Teixeira e Museus da Faculdade de Ciências, 4050-526 Porto
Metro próximo: São Bento e Aliados 
Localizado próximo da Livraria Lello (muito famosa)


4 de outubro 2021
model1

Adquira a
versão
IMPRESSA

VALOR NORMAL R$ 150,00

R$ 111,11 + FRETE

RESERVAR

ACESSE A
versão
E-BOOK

VALOR NORMAL R$ 65,00

R$ 33,33

+ INFORMAÇÕES

Preencha o formulário para receber informações e conteúdos exclusivos.

REALIZAÇÃO