COLUNA

Ubiraci Pataxó

[ELE/DELE]

Aprendeu a respeitar e valorizar todo tipo de vida, e reconhecer que a força está em nossa união.

Internacionalmente indigenomarginalizando

Ei Brasil, mostra tua cara, quero ver quem paga pra gente ficar assim! Vixe, meu bichim…! Agora me veio a dúvida quem realmente é, será que sou eu? Tu? Vós? Quem dá a voz? Ou eles? Ou será que é você, vossa messer, vós misser, vós sunser ou vc?

Oxê menine, qual é a cara do Brasil? Ainda existe na minha mesa um banquete com pernil? Para que no final do meu desjejum seja um grande arroto de “europeidade”, recheado de palavrões, arranhões, preconceitos, autoritarismos e imoralidades!

Bah guria! Brasileiro na europa é PHD em samba e futebol, encobrindo a fama de que somos bons de lençol. Responde aí “piá”! Por que os “brasopeus” não gorjeiam por lá como fazem por cá?

Ei, escute! Dizem por aí que Deus é brasileiro, se é verdade, o que será que nosso senhor tem a dizer? Na verdade, tenho falado muito, “pois não senhor!”, Entra! Entrega! Corre! Deixe-me ver tua cor!

Hó Deus! Já desliguei a TV e nesse “bang-bang” os indígenas ainda continuam morrendo, neste ato de tudo ser demonizado, o “Capiroto” perdeu o emprego, o páreo tem sido duro na deminiomania. Já tocaram as trombetas e nem sei se meu nome está no livro da vida, mas qual vida? Neste segundo em que escrevo mais uma vida está indo e nem as sirenes consegui ouvir.

Um dia cheguei a ouvir, “oh meu Jesus, perdoai e nos livra do fogo do inferno, levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem!”, Temos pressa senhor, minha pele, meu povo, minha alma queimam e estamos precisando, estão arrotando teu nome com bíblias e armas nas mãos, por favor me mostre o céu, pois não quero ser um brasileiro norte americano “europeizado”.

Sou da nata, da mata, nativa criativa, de um povo sem júri ou juiz e que nunca foi tão significativo responder tal pergunta autoritária: quem você pensa que é? Prazer! Eu sou Ubiraci Pataxó.    

COLUNISTA

Ubiraci Pataxó_site

Ubiraci Pataxó

[ELE/DELE]

Ubiraci Silva Matos pertence ao povo Pataxó da aldeia de Coroa Vermelha, em Santa Cruz Cabrália, na Bahia – maior aldeia urbana da América Latina, muito famosa por ter sido palco da invasão portuguesa neste solo chamado Pindorama, conhecido como Brasil. Quando apresenta-se como Ubiraci Pataxó, sabe que está falando por toda uma comunidade, por todo um povo, por toda uma cultura. Ele é um jovem mestre do saber e aprendiz de pajé, graduado em Ciência da Natureza e Matemática, no curso de Licenciatura Intercultural Indígena, pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. Também formado em Terapia Comunitária Integrativa (TCI), Massoterapia e Técnica em Resgate da Autoestima pela Universidade Federal do Ceará (UFC), em parceria com o Movimento Integrado de Saúde Comunitária Quatro Varas (MISMEC – Projeto 4 Varas). Atua como pesquisador nos projetos “Saúde Coletiva e Epistemologias do Sul e Interculturalidades”, na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) em parceria com Universidade de Coimbra, em Portugal e formador em Terapia Comunitária Sistêmica Integrativa no Polo de Cuidados Korihé em Santa Cruz Cabrália/BA e na Europa pela Réseau Européen de Thérapie Communautaire Intégrative. Também é membro do Comitê de Saúde Mental do Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integral (CABSI), do grupo de pesquisa “Teia das 5 Curas – Todos Nós Somos Parentes”, que envolve povos indígenas no Brasil, Peru, México e Canadá, com enfoque nas cinco curas (pensamentos, sentimentos, relações, ciclos ecológicos e trocas econômicas), da Associação Brasileira de Psiquiatria Social (APSBRA) e membro da Associação Brasileira de Terapia Comunitária Integrativa Sistêmica (ABRATECOM). Em toda a sua história, ele aprendeu a respeitar e valorizar todo tipo de vida, e a reconhecer que a força do nosso povo está em nossa união e de que “um” não pode ser mais forte de que todos nós juntes.
Veja também

Pós-ativismo e reapropriação Cultural 

Pelo direito à banalidade e ao erro

Venha de Verde amarelo na Marcha do Orgulho Trans de São Paulo

Convite à uma crítica das identidades

Assista

No Instituto [SSEX BBOX] realizamos projetos e advocacy que visam destacar a diversidade, inclusão e a equidade sobre os temas de gênero, sexualidade, população LGBTQIAP+, raça, etnia e pessoas com deficiência.

As ações do Instituto incluem apresentar ferramentas, conteúdos educacionais, e soluções estratégicas visando o exercício do olhar interseccional para grupos sub-representados. Nossas atividades tiveram início em 2009, a partir de uma série de webdocumentários educacionais que exploram temas da sexualidade e gênero para promover mudanças sociais com base nos direitos humanos.

Nosso Contato

Copyright ©2024 Todos os direitos reservados | [SSEX BBOX]